Sexta-feira, 29 de Maio de 2009

CESTAS DE POESIA

 

 

 

 

Poesia Matemática

Millôr Fernandes


Às folhas tantas
do livro matemático
um Quociente apaixonou-se
um dia
doidamente
por uma Incógnita.
Olhou-a com seu olhar inumerável
e viu-a do ápice à base
uma figura ímpar;
olhos rombóides, boca trapezóide,
corpo retangular, seios esferóides.
Fez de sua uma vida
paralela à dela
até que se encontraram
no infinito.
"Quem és tu?", indagou ele
em ânsia radical.
"Sou a soma do quadrado dos catetos.
Mas pode me chamar de Hipotenusa."
E de falarem descobriram que eram
(o que em aritmética corresponde
a almas irmãs)
primos entre si.
E assim se amaram
ao quadrado da velocidade da luz
numa sexta potenciação
traçando
ao sabor do momento
e da paixão
retas, curvas, círculos e linhas sinoidais
nos jardins da quarta dimensão.
Escandalizaram os ortodoxos das fórmulas euclidiana
e os exegetas do Universo Finito.
Romperam convenções newtonianas e pitagóricas.
E enfim resolveram se casar
constituir um lar,
mais que um lar,
um perpendicular.
Convidaram para padrinhos
o Poliedro e a Bissetriz.
E fizeram planos, equações e diagramas para o futuro
sonhando com uma felicidade
integral e diferencial.
E se casaram e tiveram uma secante e três cones
muito engraçadinhos.
E foram felizes
até aquele dia
em que tudo vira afinal
monotonia.
Foi então que surgiu
O Máximo Divisor Comum
freqüentador de círculos concêntricos,
viciosos.
Ofereceu-lhe, a ela,
uma grandeza absoluta
e reduziu-a a um denominador comum.
Ele, Quociente, percebeu
que com ela não formava mais um todo,
uma unidade.
Era o triângulo,
tanto chamado amoroso.
Desse problema ela era uma fração,
a mais ordinária.
Mas foi então que Einstein descobriu a Relatividade
e tudo que era espúrio passou a ser
moralidade
como aliás em qualquer
sociedade.


Texto extraído do livro "
Tempo e Contratempo", Edições O Cruzeiro - Rio de Janeiro, 1954, pág. sem número, publicado com o pseudônimo de Vão Gogo

 

NOTA : Para saber mais sobre o autor, ver aqui.


publicado por felismundo às 07:00
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Quinta-feira, 28 de Maio de 2009

ÀS QUINTAS, GASTRONOMIA!

                

A receita de hoje, salta da Europa e vai direitinha a Moçambique.

Esta imagem é a célebre" Cabeça do Velho", em Chimoio, capital da província de Manica.

 

Camarões com Leite de Coco

 

Ingredientes:

  • 5 a 6 dl de leite de coco
  • 1 cebola
  • 1 kg de camarões
  • 2 tomates
  • 1 colher de café de açafrão
  • sal q.b.
  • malagueta q.b.
  • 1 dl de azeite
 

 

Confecção:

Descascam-se os camarões em cru. Reserve. 
Num tacho leva-se ao lume o azeite, a cebola picadinha. 
Logo que a cebola esteja loura, junta-se o tomate sem peles nem sementes e picado e deixa-se cozer até se desfazerem. 
Junta-se o miolo do camarão e deixa-se tomar gosto, mexendo por 2 minutos. 
Adiciona-se o leite de coco misturado com o açafrão, a malagueta e o sal. 
Deixa-se fervilhar em lume brando durante 15 minutos. 
Sirva em travessa acompanhado com arroz branco.

 

 


publicado por felismundo às 07:00
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Terça-feira, 26 de Maio de 2009

COISAS QUE ME PREOCUPAM

O TRÂNSITO

 

 

 

 

Os meus muitos anos de "andar na estrada", permitem-me, não dizer que, hoje, se conduz pior que no meu tempo, nem afirmar que sou melhor que outros, não!

Nós, os que quotidianamente, andamos nas estradas do "Mundo" e/ou, no trânsito citadino, cometemos erros, que se podem tornar em situações altamente preocupantes, para todos.

Quero, por isso, dar um conselho, fruto do que observo e que, sem esforço nem dano, poderá contribuir para uma melhor harmonia, no caos que constitui a aventura de ser automobilista:

 

"ASSINALEM A MARCHA", com eficiência e certeza, não em cima do cruzamento ou da manobra que se pertende executar, mas com antecedência. E, se por ventura, se enganarem, nunca emendem de imediato, contrariando as indicações que, atempadamente, tinham fornacido.!

 

Entendo ser esta, conjuntamente com o problema das velocidades excessivas, entendidas, estas, como desadequadas ao local onde se circula e ao veículo que se conduz, as causas maiores de acidentes, portadores de consequências demasiado graves, para se arriscar.

 

VIVA A VIDA!!!

CONDUZA COM PRUDÊNCIA!!!

 


publicado por felismundo às 07:00
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Domingo, 24 de Maio de 2009

MÚSICAS DE DOMINGO - 2

 Chega-me a notícia de que o Zé Rodrix, nome artístico de José Rodrigues, um brasileiro do Rock, que iniciou a carreira nos anos setenta, tendo feito parte dos meus gostos de então, resolveu deixar-nos e partir para outra galáxia.

A minha homenagem.

 

 

 

 

Em 1981, sai em Portugal um single, editado pela Telectra, SARL, com o selo RCA.

Recordo o poema do lado 1.

 

ABAIXO A CUÉCA! (Hino oficial do movimento a favor do homem-objecto)

 

De: Zé Rodrix/ Paulo Coelho

 

Homens chegou o momento da luta

Venham unidos por toda a nação

Vamos queimar essa coisa humilhante

Que é símbolo da nossa escravidão

Abaixo a cuéca!

Chegou nossa hora

Liberdade para o corpo masculino!

Já chega de mamãe mandou

Já chega de mulher falou

O homem é que tem de ser dono

Do seu destino

QUero aparecer nu em revista

E quero por elas ser suatentado

E também quero ouvir palavrões nas esquinas

Eu quero mesmo é ser homem-liberado!

Quero que ela me bote de porre

E tente depois me levar pró motel

E que ela cubra meu corpo com muitos presentes

Pra eu cumprir direito o meu papel

 

 

música: Primeira Canção da Estrada - 1972

publicado por felismundo às 18:29
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

MúSICAS DE DOMINGO

 

Revisitando os anos heróicos, das canções heróicas!!!

música: Me quedan las palabras

publicado por felismundo às 07:00
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Sábado, 23 de Maio de 2009

NO SÁBADO, PINTURA!

Hoje, vou por outras paragens.

Rumo à Colômbia, depara-se-me esse extraordinário pintor e escultor, que é Fernando Botero.

É com ele que vos deixo, nos próximos sete minutos.

Gostaria de referir o autor da música, mas a falta de informação, impede-me. Refiro, no entanto, a sua qualidade.

 

 

 


publicado por felismundo às 07:00
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Sexta-feira, 22 de Maio de 2009

CESTAS DE POESIA

 

Fernando Pessoa, desenho de Júlio Pomar


O que há em mim é sobretudo cansaço

O que há em mim é sobretudo cansaço
Não disto nem daquilo,
Nem sequer de tudo ou de nada:
Cansaço assim mesmo, ele mesmo,
Cansaço.

A subtileza das sensações inúteis,
As paixões violentas por coisa nenhuma,
Os amores intensos por o suposto alguém.
Essas coisas todas.

Essas e o que faz falta nelas eternamente;
Tudo isso faz um cansaço,
Este cansaço, Cansaço.

Há sem dúvida quem ame o infinito,
Há sem dúvida quem deseje o impossível,
Há sem dúvida quem não queira nada -
Três tipos de idealistas, e eu nenhum deles:
Porque eu amo infinitamente o finito,
Porque eu desejo impossivelmente o possível,
Porque eu quero tudo, ou um pouco mais, se puder ser,
Ou até se não puder ser...

E o resultado?
Para eles a vida vivida ou sonhada,
Para eles o sonho sonhado ou vivido,
Para eles a média entre tudo e nada, isto é, isto...
Para mim só um grande, um profundo,
E, ah com que felicidade infecundo, cansaço,
Um supremíssimo cansaço.
Íssimo, íssimo. íssimo, Cansaço...

Álvaro de Campos


publicado por felismundo às 08:45
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Quinta-feira, 21 de Maio de 2009

ÀS QUINTAS, GASTRONOMIA!

 

 

 

LEBRE COM FEIJÃO BRANCO

 

Ingredientes (4 pessoas)

1 lebre

500 g de feijão branco

2 dl de vinho branco (maduro)

60 g de manteiga

60 g de banha

2 cebolas

4 dentes de alho

1 ramo de salsa

Pão de véspera

Azeite

Sal

Pimenta

 

Como fazer

Deixa-se o feijão branco de molho, cerca de 12 horas. Arranje e limpe a lebre. Em seguida, corte-a aos bocados e esfregue-a com sal. Deixe-os repousar algum tempo. Pique as cebolas e os alhos. Faça um refogado, em lume brando, com a banha, o azeite, a salsa também picada, as cebolas e os alhos. Estando a fervilhar acrescente o vinho branco e tempere de sal e pimenta: levantando, novamente, fervura introduza a lebre em bocados. Tape o tacho e deixe-os refogar lentamente. Acrescente os goles de água, necessários para cozer a lebre. Estando cozida, adicione o feijão, entretanto levado a cozer em água temperada de sal. Rectifique os temperos, deixe apurar e sirva acompanhada por fatias de pão torrado.

 

Bom apetite!!!

 

Nota: Para quem gosta, acompanhe com um "TRINCADEIRA" do João Portugal Ramos, que não se vai desiludir.


publicado por felismundo às 07:00
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Domingo, 17 de Maio de 2009

MÚSICAS DE DOMINGO

 Neste Domingo, especial, uma música diferente.

 

 

 

música: Blue Tangos

publicado por felismundo às 12:10
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Sábado, 16 de Maio de 2009

NO SÁBADO, PINTURA!

 Mais uma incursão na pintura portuguesa, espero que gostem.

 

 

 

música: Ahmad Jamal

publicado por felismundo às 07:00
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. AOS DOMINGOS POESIA

. ...

. POESIA POPULAR ALENTEJANA

. LEMBRANDO A INFÂNCIA

. BENFICA 2 - PORTO 2

. ...

. A poesia de Fernando Pess...

. TENTEMOS UM RECOMEÇO, PEL...

. É BOM OUVIRMOS OS "MAIS V...

. MUDANÇAS

.arquivos

. Outubro 2013

. Junho 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Setembro 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Meu caro Armando Facadinhas, só hoje dei pelo teu ...
Meu caro Armando, é com todo o gosto que te vejo p...
boa tarde é armando facadinhas câmara municipal d...
Salvé o retorno à blogosfera. As nossas ausências ...
Tens toda a razão, o esquecimento é uma coisa cont...
Boa recordação.É uma pena estes nomes irem caindo ...
Parecendo que não, duplicou o drama!!!
Oportuno, realmente.Ainda era o marido a trabalhar...
Olá.Um belo poema de António Ramos Rosa.A 1ª vez q...
Na verdade o abandono dos blogs também me tocam......

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds