Quinta-feira, 2 de Julho de 2009

ÀS QUINTAS, GASTRONOMIA!

Ontem foi o Dia Mundial das Bibliotecas, veículo essencial para a divulgação dos conhecimentos e, de entre eles os da gastronomia.

Impossível ficar sem o referir, primeiro porque o meu passado o impede e o presente o solicita.

Daí que me refira a Fialho de Almeida e que, repesque da sua obra, Os Gatos a definição do que é, um "prato nacional".

Dizia ele:"  Uma composição culinária rebelde à escrita dos manuais, característica inconfundível(...). Transmite-se por tradição : os estrangeiros não sabem confeccioná-lo, mesmo naturalizados: tendo chegado até nós por processos lentos, e contraprovas de biliões de experimentadores, sucessivamente interessados em fixar na sua forma irrepreensível, resulta ser ele sempre uma coisa eminentemente sápida e sadia. O prato nacional é, como o romanceiro nacional, um produto do génio colectivo: ninguém o inventou e inventara,-no todos: vem-se ao mundo chorando por ele, e quando se deixa a pátria, lá longe, antes de pai e mãe, é a primeira coisa que se lembra".

 

NOTA: Repescado do livro: Histórias e Curiosidades Gastronómicas, de José Quitério, Ed. Assírio e Alvim

 

LEITE FRITO  ( Estremoz )

Ingredientes

7,5 dl de leite

75 g de farinha

2 gemas de ovos

200 g de açúcar

1 limão

1 pau de canela

Banha

Canela em pó

 

Preparação

Mistura a farinha com o leite, as gemas de ovo, o açúcar, o pau de canela e a casaca de limão ralada. Bata bem até obter uma massa cremosa. Depois leve a lume brando, para engrossar, mexendo sempre. Estando grossa, deite-a num tabuleiro refrescado com água fria. Deixe arrefecer completamente e corte a massa obtida em quadrados. Envolva-os em farinha e frite-os em  banha.

À medida que os for fritando, polvilhe-os com açúcar e canela.

 


publicado por felismundo às 11:16
link do post | comentar | favorito
4 comentários:
De Maria a 2 de Julho de 2009 às 13:40

É muito interessante o que dizia Fialho - " (...) O prato nacional é, como o romanceiro nacional, um produto do génio colectivo: ninguém o inventou e inventara-no todos: (...) ", também sinto o mesmo, aliás, para mim o que me seduz mais na confecção dos pratos é acrescentar qualquer elemento novo, dando o meu contributo, à receita. E essa do Leite frio não conhecia, deve ser muito saborosa!
Na ilha da Madeira faz-se uma papa de farinha de milho, sem açúcar, depois é frita e serve-se como acompanhamento de "pratos salgados", vejo nestas influências africanas qualquer coisa a lembrar o "funge" ou "pirão"como se chama em Angola.



De felismundo a 3 de Julho de 2009 às 12:03
Neste mundo onde tudo procura a inovação, a maior parte das vezes, para enganar o povo, nada melhor que socorrer-me das sábias palavras do Fialho, alentejano de Vila de Frades, que, ao tempo, pos as coisas no seu lugar.
Gostei da analogia que fazes com os outros pratos que citas, é mesmo assim, também o penso.
Agora é fazer e comer!


De Emiéle a 2 de Julho de 2009 às 19:52
Este também não conhecia. (já vão vários) Começa como uma espécie de leite-creme mais grosso, mas a fritura final altera tudo.
Deve ser bem bom!!!


De felismundo a 3 de Julho de 2009 às 12:06
Coisa simples, mas muito gostosas. A fritura final, em banha, dá-lhe o toque final e altera-lhe o sentido.
É mesmo, muito bom!!!


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. AOS DOMINGOS POESIA

. ...

. POESIA POPULAR ALENTEJANA

. LEMBRANDO A INFÂNCIA

. BENFICA 2 - PORTO 2

. ...

. A poesia de Fernando Pess...

. TENTEMOS UM RECOMEÇO, PEL...

. É BOM OUVIRMOS OS "MAIS V...

. MUDANÇAS

.arquivos

. Outubro 2013

. Junho 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Setembro 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Meu caro Armando Facadinhas, só hoje dei pelo teu ...
Meu caro Armando, é com todo o gosto que te vejo p...
boa tarde é armando facadinhas câmara municipal d...
Salvé o retorno à blogosfera. As nossas ausências ...
Tens toda a razão, o esquecimento é uma coisa cont...
Boa recordação.É uma pena estes nomes irem caindo ...
Parecendo que não, duplicou o drama!!!
Oportuno, realmente.Ainda era o marido a trabalhar...
Olá.Um belo poema de António Ramos Rosa.A 1ª vez q...
Na verdade o abandono dos blogs também me tocam......

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds