Quarta-feira, 14 de Março de 2007

FINALMENTE, AS BOAS NOVAS!

IMG_1532.jpg
FOTO: Pamela Villoresi

Da indignação, passei à felicidade, não total, mas intensa, e isso é que me interessa.
Estes meios de comunicação nacionais, (do continente), tentam dar razão ao lider madeirense, ao esquecerem que os Arquipélagos dos Açores e da Madeira, também são PORTUGAL.

Depois do recado, em termos bem mais suaves, passemos ao que nos chegou.

Sob o título, " O fim do princípio ", escreve Miguel Machete, um dos activos do Teatro de Giz, um texto lindíssimo, sobre a ante-estreia do Tele-Filme "AIlha de Arlequim".
Segundo ele, o Teatro Faialense, estava cheio e Zeca Medeiros no final da apresentação disse: " Esta foi uma experiência magnífica realizada em pleno, contra a maré. Nos tempos que correm tal conjuntura é pouco provável. Fazem-se coisas por razões diversas, impera o esquema de conquista de audiências, da comercialização das coisas/sentires, que não deveriam ser para «comercializar», sublinham-se as modas, apregoa-se e incentiva-se o consumo e o desgaste rápido, esquece-se o amor pela arte, pela partilha e pela vida".
Se mais alguma coisa houvesse para escrever, sobre o que se passou, tal, não seria necessário, mas quem quiser saber a notícia completa terá que
[Error: Irreparable invalid markup ('<a [...] aqui</a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

<img alt="IMG_1532.jpg" src="http://estounasesta.blogs.sapo.pt/arquivo/IMG_1532.jpg" width="452" height="301" border="0" />
FOTO: Pamela Villoresi

Da indignação, passei à felicidade, não total, mas intensa, e isso é que me interessa.
Estes meios de comunicação nacionais, (do continente), tentam dar razão ao lider madeirense, ao esquecerem que os Arquipélagos dos Açores e da Madeira, também são PORTUGAL.

Depois do recado, em termos bem mais suaves, passemos ao que nos chegou.

Sob o título, " O fim do princípio ", escreve Miguel Machete, um dos activos do Teatro de Giz, um texto lindíssimo, sobre a ante-estreia do Tele-Filme "AIlha de Arlequim".
Segundo ele, o Teatro Faialense, estava cheio e Zeca Medeiros no final da apresentação disse: " Esta foi uma experiência magnífica realizada em pleno, contra a maré. Nos tempos que correm tal conjuntura é pouco provável. Fazem-se coisas por razões diversas, impera o esquema de conquista de audiências, da comercialização das coisas/sentires, que não deveriam ser para «comercializar», sublinham-se as modas, apregoa-se e incentiva-se o consumo e o desgaste rápido, esquece-se o amor pela arte, pela partilha e pela vida".
Se mais alguma coisa houvesse para escrever, sobre o que se passou, tal, não seria necessário, mas quem quiser saber a notícia completa terá que <a href="http://pontadailha.blogspot.com/2007/03/o-fim-do-princpio.html"clikar aqui</a>, e ver com os próprios olhos a alegria que é, levar um barco a bom porto.
Que nós, aqui no continente possamos partilhar a alegria que eles tiveram ao refazer o que o mar lhes deu.

publicado por felismundo às 15:29
link do post | comentar | favorito
10 comentários:
De jos palmeiro a 19 de Março de 2007 às 15:03
É sempre bom confirmar a ideia que se tem das pessoas, e a ideia que tenho de si, davinci, não se confirma, reafirma.
Fica todo contente, de aparecer alguém como voçê, presunçosso e convencido, e aí vai disto, sem qualquer vergonha, quebra a palavra dada, e aí esá de novo, viola na mão, pronto para mais um concerto. Fique descançado, não apagarei o que escreveu, mas mantenho a capacidade de lhe apagar todos os escritos que eu entender, que não cabem na minha casa. Por ora, ainda não necessito de andar pela casa dos outros a dar palpites. Tenha juizo, que já deve ter idade para isso e já agora, meta a viola no saco e vá cantar para outra freguesia, que a si, não lhe dou subsídio, nem sequer lhe pago qualquer cachet e nem que voçê me pague, o quero ouvir. Tenho esse direito, sou livre!


De davinci a 19 de Março de 2007 às 13:48
o sr palmeiro,lembra-se de mim, sou o Davinci aquele que nao aparecia no seu blog a imenso tempo.afinal o sr não e tao culto quanto parece,quando apanha um adversario a altura , nao tem qualquer hipotese, e eu que ficava chateado quando o sr com uma falta de educação tremenda apagava os meus comentarios sobre musica,fique a saber que sou musico a 30 anos.........
á ja me esquecia ,parabens sr jose basilio
ate sempre


De Jos Basilio a 18 de Março de 2007 às 17:38
Não concordo nem disse que a qualidade de uma obra de arte seja medida pelo que vende. Van Gogh vendeu um quadro em vida e é um génio imortal.
Quero deixar claro que reconheço qualidade, empenho e divulgação dos Açores ao senhor Zeca Medeiros.Apenas queria e quero dizer que há muita gente com muita qualidade, mas que por imperativos de mercado é obrigado a submeter-se a ele para poder sobreviver. Não pode, acho, deixar de concordar que o facto de o Sr Zeca Medeiros ser funcionário da RTP-Açores e daí retirar um rendimento fixo o liberta das amarras dos caprichos do mercado.
Eu tenho interesse pelo que se passa à minha volta, por isso sou colaborador da Casa dos Açores no Algarve. Não admito que diga que tenho desinteresse do que se passa à minha volta porque não ouvi falar do filme "a ilha do arlequim"...talvez conheça coisas do mundo de que nunca viu ou ouviu falar e não é por isso que o acuso de desinteresse. Além de que, como disse, segui o caso do barco naufragado na Praia do Norte na ilha do Faial através de conhecidos meus e quando tive no Faial no Verão de 2006!
Mas ainda bem que ouvi falar do filme...agora tenho muito interesse em vê-lo e tenho de agradecer a si ter o dado a conhecer....pelo menos a mim :)

Cumprimentos

José Basílio


De jos palmeiro a 18 de Março de 2007 às 17:23
José Basílio, para um jovem, é mais bonito que "ilha-man"!

Continuo a discordar do que diz e que só a juventude, o leva a dizer.

A RTP-A é um canal da RTP, empresa pública, logo também minha e sua, o que nos confere alguns direitos de saber quem subsidiamos.
Subsídio, meu caro, não é o ordenado que o estado paga aos seus funcionários, nas sim como agora sucede com o Governo Regional dos Açores a subsidiar a TVI, essa sim, privada, e com interesses comerciais, sem se preocupar com a qualidade do produto, mas sim com as audiências e com outros interesses que à arte, pouco dizem.
As palavras proferidas pelo José Medeiros, são certeiras e só querem dizer o que dizem, porque ditas por alguém que, a troco de um salário normalissímo fez, pelos Açores, desde à mais de vinte anos, aquilo que um cidadão digno desse nome deve fazer, sem contrapartidas, antes com dignidade e com amor, pela terra que o viu nascer e que o moldou, nas agruras e dificuldades.


De Jos Basilio a 18 de Março de 2007 às 16:42
e eu sou tão anónimo, mas tão anónimo que o senhor conseguiu enviar-me um email...tenho de rever o meu anonimato, talvez arranjar outro tipo de disfarce...como diz o povo: Gato escondido com rabo de fora"

Cumprimentos

José Basílio


De Jos Basilio a 18 de Março de 2007 às 16:36
Esqueci de dizer no último comentário que acho piada /engraçado o senhor acusar-me de ser anónimo, mas ao mesmo tempo afirmar, no seu mail, que tem informações sobre onde resido para poder acusar-me de desconhecimento/desinteresse do que se passa à minha volta!!

Cumprimentos

José Basílio (ilha_man)


De Jos Basilio a 18 de Março de 2007 às 16:28
1) O meu nome é José da Trindade Vasconcelos Raposo Lopes Basílio, nasci em 1979 na ilha de São Miguel concelho de Ponta Delgada, freguesia de São José

2)Arranje melhores informadores pois ao contrário do que afirma no seu mail não resido nos Açores há quase 9 anos. ( é engraçado quando se acusa alguém de estar mal informado recorrendo informações erradas.Ao que parece o sr, que como dá a entender, é mais velho do que eu devia saber que não se deve acreditar em tudo o que se ouve)

3)No Verão de 2006 só estive na praia do norte a ver o CP Valour e a falar com conhecidos meus, que residem no Faial, sobre o caso...mas tenho a certeza que o sr sabe mais...

4) Quem subsidia a RTP-Açores???

5) Não é mais fácil fazer arte sem fins comerciais quando o seu ordenado não depende da venda das suas produções????

6) Não acha que há muita gente com qualidade, mas como não tem emprego fixo na RTP-Açores, subsidiada pelo Governo Regional, tem de fazer pela vida e tentar que o que faz venda para ter o que comer????

7)Não acha que quem é obrigado a vender para viver talvez tenha de fazer algo com menos qualidade artística e mais comercial???

8) No meu comentário não falei sobre a qulidade do trabalho do sr Zeca Medeiros, pois a reconheço. Como disse também lembro-me de ver suas séries na RTP-Açores.

9) o meu comentário, como disse na altura, foi apenas para a frase do realizador: "Fazem-se coisas por razões diversas, impera o esquema de conquista de audiências, da comercialização das coisas/sentires, que não deveriam ser para «comercializar», sublinham-se as modas, apregoa-se e incentiva-se o consumo e o desgaste rápido, esquece-se o amor pela arte, pela partilha e pela vida"."...

10)Faço a mesma pergunta que já fiz: não é mais fácil fazer arte sem fins comerciais quando se tem um ordenado fixo pago pala RTP-Açores, subsidiada pelo governo Regional dos Açores, do que quando se depende unicamente da venda do que se faz???

Tenho dito

Cumprimentos


José Basílio ( ilha_man)


De jos palmeiro a 18 de Março de 2007 às 15:29
ilha, será man?
Meu caro, vamos lá pôr os pontos no "is".
Não gosto de gente que se refugia em anonimatos, quando esses anonimatos servem para difundir inverdades, que assim, fácilmente, se descartam, pois não são assumidas, por uma "cara", por uma identidade.
Gostaria que fundamentasse os "dinheiros que o realizador José Medeiros, recebe ou recebeu do Governo Regional", pois se assim é, todos deveremos saber, porque não entendo como um trabalhador da RTP, quando o faz no âmbito da sua empresa, quando esta é a produtora das obras que ele realizou, recebe por fora, e ainda por cima, do Governo Regional. Sei que voçê é um jovem, e talvez por isso premeável às má informações e às invejas e, ainda por cima, com pouca dignidade, pois não se coibe de as propagar, sem antes as confirmar. Vê-se também o seu pouco interesse pelas coisas que o rodeiam, uma vez que desconhecia o que se passava no Faial, relativamente ao naufrágio do "CPValour", e suas consequências.
Termino com um apelo, indique, série por série, por ele realizadas, desde à mais de vinte anos, e as verbas que o Governo Regional dos Açores, lhe forneceu, por cada uma delas.
Ficar-lhe-ia, eternamente grato, e já agora, dê a cara, assuma-se, porque "homem da ilha" é que não é, de certeza.


De ilha_man a 16 de Março de 2007 às 10:44
Lembro-me bem das séries do sr Zeca Medeiros na RTP-Açores. Não vi o filme nem ouvi falar dele a não ser hoje pelo Pópulo. O meu comentário não vai para a qualidade do filme, mas para as afirmações do sr Zeca: é fácil fazer arte quando se recebe o dinheiro do governo regional que ele recebe!!!Quem não tem rendimento fixo como o sr Zeca tem de fazer um filme que venda...


De Emile a 15 de Março de 2007 às 17:37
Bom. «Tout est bien quand finit bien!» ainda bem que se conseguiu que o caso fosse falado.
Acho que vou fazer um link no Populo para este teu post, para mais gente ficar a saber.


Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 10 seguidores

.pesquisar

 

.Outubro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. AOS DOMINGOS POESIA

. ...

. POESIA POPULAR ALENTEJANA

. LEMBRANDO A INFÂNCIA

. BENFICA 2 - PORTO 2

. ...

. A poesia de Fernando Pess...

. TENTEMOS UM RECOMEÇO, PEL...

. É BOM OUVIRMOS OS "MAIS V...

. MUDANÇAS

.arquivos

. Outubro 2013

. Junho 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Setembro 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

.últ. comentários

sou de peroguarda, gostava do seu contacto se poss...
Sou de Peroguarda tenho alguns poemas como o da ab...
Boa tarde,Seria possível aceder a esse bloco de po...
O poeta António Joaquim lança foi meu bisavô.....t...
Meu caro Armando Facadinhas, só hoje dei pelo teu ...
Meu caro Armando, é com todo o gosto que te vejo p...
boa tarde é armando facadinhas câmara municipal d...
Salvé o retorno à blogosfera. As nossas ausências ...
Tens toda a razão, o esquecimento é uma coisa cont...
Boa recordação.É uma pena estes nomes irem caindo ...

.links

SAPO Blogs

.subscrever feeds