Quinta-feira, 25 de Setembro de 2008

VOLTEMOS A FALAR DA SESTA

 

Esta, a sesta como a via e interpretava, Almada Negreiros, em 1939.

 

Agora a notícia:

 

Sesta: Associação desafia empresas a adoptarem esta técnica de relaxe

25 de Setembro de 2008, 13:43

Santarém, 25 Set (Lusa) - Por que razão não hão-de as grandes empresas juntar às estratégias de relaxe (como massagens ou spas), para renovar as energias dos seus trabalhadores, objectos como pufs, redes ou esteiras que permitam simplesmente... dormir no local de trabalho?

A pergunta é feita pelo advogado Prates Miguel, presidente da Associação Portuguesa dos Amigos da Sesta, que sábado realiza a sua II Conferência Nacional em Alcanena, distrito de Santarém.

Acérrimo defensor da prática de dormir meia ou uma hora depois do almoço, como medida essencial para a harmonia dos biorritmos, Prates Miguel disse à agência Lusa que o encontro de sábado visa mostrar que a correria da sociedade actual, sem uma reparadora sesta, tem implicações em áreas vitais das nossas vidas.

"A Sesta no Trabalho" é o tema de abertura da conferência, a cargo de Fernando Gonçalves, director do Centro Distrital da Segurança Social de Leiria, seguindo-se "A Sesta e Produtividade", pelo economista e gestor Manuel Marques Barreiro.

A APAS convidou o presidente da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, Paulo Marques Augusto, para falar sobre "Sesta e Segurança na Estrada", ficando para o compositor/cantor Pedro Barroso o tema "A Música, a Pausa e o Silêncio".

"Sesta Infantil", pela psicóloga clínica Mafalda Leitão, e "Sesta e Saúde Mental", por Raul Cordeiro, da Escola Superior de Saúde de Portalegre, são os outros temas da conferência.

Com 223 sócios, um deles honorário (o ex-presidente da República Mário Soares) e outro de mérito (o presidente da Câmara Municipal de Estremoz, cidade que acolheu a primeira conferência), a APAS concentra a maioria dos seus sócios nos distritos de Leiria (90), Portalegre (34), Lisboa (23) e Coimbra (22), pelo que Alcanena, junto ao nó de acesso à A1, tem uma "excelente localização".

"Queremos que o tema da sesta entre na discussão pública. Hoje temos outros ritmos, mas este deve ser um tema de debate", disse Prates Miguel, sublinhando que a APAS convidou pessoas que "sabem do que estão a falar" porque quer ser uma "corrente de opinião credibilizada".

Segundo disse, a associação não quer ir "tão longe" como a China, que em 1949 levou a sesta para a Constituição, mas gostaria que o movimento "se vá espalhando", o que tem vindo a acontecer, também graças à forma como tem sido tratado na Comunicação Social.

O seu propósito, afirmou, é "atirar uma pedrada no charco", com uma preocupação de "rigor", alicerçada em argumentos de "autoridades na matéria".

"Antes a associação era objecto de sátira, mas o sarcasmo foi arredado porque ninguém tinha pensado nas vantagens do equilíbrio biológico que a sesta proporciona", afirmou, sublinhando que o assunto deixou já de ser paródia e começa a ser levado a sério.

A ideia de criar a APAS surgiu depois da leitura, em 2001, de uma crónica do escritor José Eduardo Agualusa, que invocava razões científicas para defender a sesta como benéfica.

"Praticante remoto" da sesta - desde que, em criança, dormia debaixo da laranjeira da horta do pai, em Montargil - Prates Miguel afirmou que a sua reacção, na altura, foi a de pensar: "afinal não sou um preguiçoso".

Enfrentou a paródia na Conservatória, quando, em 2003, deu o passo para a criação da associação - uma das maiores dificuldades foi encontrar um código de actividade que enquadrasse a sesta, acabando por ficar "um que dava para todas".

A segunda adesão - do então deputado e actual secretário de Estado da Protecção Civil, José Miguel Medeiros -, deu-se na noite em que recebeu o cartão de constituição da APAS e, daí, a associação chegou à Assembleia da República.

Dos 13 associados dos primeiros tempos, a APAS passou para os 223, a maioria dos quais homens (perto de 190) e com idades entre os 41 e os 60 anos (pouco mais de 120), tendo actualmente uma "mascote", uma associada com três anos.

Professores, técnicos, funcionários públicos, industriais e médicos são as profissões com mais adeptos, mas também há um padre, dois deputados, uma governadora civil, actores, músicos e escritores.

MLL.

Lusa/fim

 

O movimento continua, até à vitória final!!!


publicado por felismundo às 17:55
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Segunda-feira, 21 de Julho de 2008

CURIOSIDADES

 

Não tenho por hábito ler este tipo de jornais, primeiro porque, nas ciddes onde normalmente vivo, não aperecem e depois porque, onde aparecem, não me despertam interesse por aí além.

Com a estadia, aqui na Cidade Invicta, de vez em quando, passo-lhes os olhos por cima. Hoje, peguei no Global e apesar do meu preconceito, tirando um erro de palmatória, encontrei algumas notícias de que gostei.

Comecei por ler a coluna do desporto, e aí fui dar com uma notícia nos desportos motorizados, um dos meus preferidos e deparo-me com o erro. Afirma-se que o piloto de todo o terreno, Nani Roma, da Mitsubichi, é italiano. Falta de conhecimento, total ou então confusão pelo nome, que o apelida e bem de Roma, mas, puro engano, Nani Roma é espanhol e antigo vencedor do Paris-Dakar, em motos.

Depois, duas outras notícias me chamaram a atenção, não pela imprecisão, mas pelo conteúdo, realço: " a posição de Francisco Louçã, sobre o abate de sobreiros, na zona onde se vai construir a nova cadeia. Lembrou que os sobreiros, foram plantados, à cerca de cinco anos e que a sua plantação foi paga pelo estado (todos nós), e pela cominidade europeia e que agora o estado decide, contra a vontade das populações, destruir o que, ao tempo, fez bem, e contruir o que as populações não desejam.

A outra notícia de relevo, diz-nos que os terrenos onde se desenrolou a concentração motard  de Faro, no último fim de semana, são propriedade da Diocese do Algarve e que estão reservados para a construção de uma nova urbanização imobiliária. Lindo, ver os desígnios de Deus, metidos na especulação imobiliária, somando para o aumento do cimento, numa zona já tão saturada, dele e numa área, tão sensível como a da ilha de Faro. Coisas de Deus!!!


publicado por felismundo às 15:56
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Segunda-feira, 9 de Junho de 2008

COMO É DIFERENTE SER PATRÃO

Estou farto de ver e de sentir, as forças da ordem da república portuguesa, actuarem, sem dó nem piedade, sempre que os trabalhadores se reunem, sobre qualquer pretexto. São actuantes, duros, mesmo, não se importando de avançarem sobre os manifestantes, quando estes, mais não fazem do que gritar bem alto o desamor que os governantes deste país, por eles nutrem.

Desde sexta-feira passada que assistimos ao patrões da camionagem, assumirem e fazerem a paralização das suas viaturas e a de outros, que querendo trabalhar, são coagidos a o não fazer.

Por outro lado, sabemos que o que se está a passar, constitui crime, segundo as nossa leis. A Guarda Nacional Républicana, deslocada para os vários lugares onde essa gente está a actuar, ajuda-os, na sua acção, como foi demostrado pelas imagens passadas nas mais variadas televisões. Por seu turno os piquetes que actuam no sentido da paralização das viaturas, ameaça ealerta para os perigos que podem acontecer a quem decidir avançar. Casos há, de viaturas que foram apedrejadas, com as consequências que se  adivinham e a guarda. nada, mas nada faz, para os deter. Como é diferente o seu modo de actuação!

O governo, também nada diz, e hoje, desde Argel, o primeiro Sócrates, apela à calma e ao bom senso, ele que tão arrogante é para com os trabalhadores, apela, assim para os patrões.

Onde é que eu, nós, vivemos?

Que país este, que tem dois pesos e duas medidas?

tags:

publicado por felismundo às 17:11
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 9 seguidores

.pesquisar

 

.Outubro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. VOLTEMOS A FALAR DA SESTA

. CURIOSIDADES

. COMO É DIFERENTE SER PATR...

.arquivos

. Outubro 2013

. Junho 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Setembro 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

.últ. comentários

sou de peroguarda, gostava do seu contacto se poss...
Sou de Peroguarda tenho alguns poemas como o da ab...
Boa tarde,Seria possível aceder a esse bloco de po...
O poeta António Joaquim lança foi meu bisavô.....t...
Meu caro Armando Facadinhas, só hoje dei pelo teu ...
Meu caro Armando, é com todo o gosto que te vejo p...
boa tarde é armando facadinhas câmara municipal d...
Salvé o retorno à blogosfera. As nossas ausências ...
Tens toda a razão, o esquecimento é uma coisa cont...
Boa recordação.É uma pena estes nomes irem caindo ...

.links

SAPO Blogs

.subscrever feeds